• Fábio Diniz

Kung Fu online... é possível?

Nos últimos meses, todos nós passamos por profundas transformações em nossas vidas, pois a pandemia e a quarentena nos fizeram mudar a forma como vivemos, nos relacionamos e nos sentimos em relação a quase tudo.

Muitas das nossas atividades tiveram que ser desenvolvidas através das tecnologias e da internet. O trabalho, os momentos de lazer, as compras, até o encontro com os amigos e a família são alguns exemplos.


Mas e o kung fu e as artes marciais? Com todas as academias fechadas, os professores não tiveram alternativa a não ser gravar vídeos, fazer aulas online e aprender mais sobre novas tecnologias.

Nesse ponto surge novamente uma antiga discussão sobre tradição, limites para o ensino da arte, e até mesmo alguns preconceitos.

Para responder se kung fu online é possível, devemos primeiro responder a seguinte pergunta: “o que é kung fu para você?” Somente a partir dessa percepção, poderemos saber se as tecnologias podem ajudar ou não as pessoas a desenvolver a arte marcial em suas vidas.



Vamos imaginar uma escola tradicional focada em competições esportivas. A grande preocupação em seus treinamentos pode ser a eficiência técnica dos golpes, ou a preparação física correta para eventos, ou ainda a formação de atletas. Nesse caso, muito provavelmente os treinos em casa não serão suficientes para alcançar todos os objetivos.

Se imaginarmos outra escola em que a tradição e as normas são a coisa mais importante a ser seguida, talvez algumas transformações modernas no treinamento sejam incompatíveis com esse princípio.

E se para alguém ainda kung fu for apenas luta, esse talvez não terá muita utilidade dentro de casa.


Mas se pensarmos em um kung fu para todos, com pessoas de diferentes idades, estilos de vida e até mesmo diferentes capacidades. Essas pessoas que encontram na prática dos movimentos da arte uma forma própria de expressão do ser. E uma ferramenta para melhorarem suas vidas, através da saúde, da postura de vida e da filosofia marcial.


Claro que o contato humano e a aula presencial tem suas características únicas... Mas e quando isso não é possível? Nesse caso, acredito que a internet pode ser mais uma forma para superar barreiras e obstáculos.


O verdadeiro kung fu não pode ser ensinado, mas aprendido, pois reside dentro de cada pessoa. Não importa onde essa pessoa esteja, sua atitude interior e sua própria vontade poderão desenvolver o kung fu para a vida.



Sempre falo aos meus alunos sobre a seguinte ideia: No kung fu que acredito, treinamos as técnicas de luta, não mais para lutar com alguém. Mas para aprender algo com nós mesmos. Como praticamos e por que praticamos se torna mais importante do que o movimento ou o golpe.

Todos esses elementos de reflexão podem contribuir para você definir o que é kung fu para você e se uma aula online pode te ajudar em suas práticas.


Ao longo da história das artes marciais chinesas, muitas transformações aconteceram a respeito de o que se pode ou não ensinar no kung fu: - No passado, os estilos eram passados apenas dentro das famílias, de pai para filho. - Em um passado mais recente, ensinar o kung fu para ocidentais não era uma prática bem vista por alguns mestres orientais. - Nos dias de hoje, muitos professores que não aceitavam o ensino online, tiveram que “quebrar essa barreira” com seus próprios alunos.


Talvez estejamos vivendo mais um ponto de transformação na história do Kung Fu e das Artes Marciais. E você? O que acha?

53 visualizações
WhatsApp-Logo.png

Rua Coelho Neto, 465 - Vila Itapura | Campinas - SP - Brasil

© 2018 Academia Dragão Chinês Kung Fu

Logo Novo.png
WhatsApp-Logo.png