• Fábio Diniz

Os Chutes no estilo Choy Lay Fut de Kung Fu

“Se estiver longe, chute; se estiver perto, soque; se estiver mais perto ainda, derrube!”

Esse é o lema do Sanda, a modalidade esportiva de combate no Kung Fu. E podemos perceber através dessas palavras um dos mais importantes conceitos da luta: a DISTÂNCIA.


Em uma situação de combate, um lutador deve ser capaz de executar técnicas corretas e adequadas à distância em relação ao seu oponente. Muitos estilos de kung fu utilizam os chutes na longa distância. E no nosso estilo isso também acontece.

Vamos pensar primeiramente nas vantagens das técnicas de chutes: - DISTÂNCIA = alcance maior que os braços, possibilitam golpes na longa distância. - FORÇA = os membros inferiores conseguem imprimir mais força do que os golpes com os membros superiores. - POSSIBILIDADES = com as pernas podemos atacar em diferentes alturas. Por isso existem chutes que podem acertar alvos diferentes como as pernas, o baixo ventre, o tronco ou a cabeça.

Se o chute tem todas essas vantagens, qual a desvantagem então? A principal delas é o risco envolvido na execução da técnica, pois sempre que realizamos um chute, uma perna está no ar e temos apenas um pé apoiado no chão. Qualquer golpe recebido pelo lutador nesse momento pode derrubá-lo. Quanto mais alto um chute, mais temos que inclinar nosso corpo e mais tempo estamos expostos a esse risco. Por esse motivo, muitas formas de lutar preferem chutes rápidos e baixos. Podemos observar que muitos estilos de kung fu possuem características em comum. Os estilos do sul da China, por exemplo, geralmente possuem bases baixas, um forte trabalho de braços e CHUTES BAIXOS.


Esse vídeo abaixo demonstra um clássico chute que ilustra essa característica:

Porém, apesar do Choy Lay Fut ser um estilo do sul da China, ao longo de sua história ele desenvolveu as técnicas de chutes altos, muito provavelmente através do intercâmbio de técnicas com outros estilos.


Com isso, temos um repertório grande de técnicas de chutes no nosso currículo de treinamento. Eles envolvem além da altura, elementos acrobáticos como passos, saltos e giros.


Como tudo no kung fu, a prática e o tempo levam ao aperfeiçoamento de cada movimento. E para realizar os chutes altos, o praticante também precisa desenvolver algumas capacidades como equilíbrio e flexibilidade. Para finalizar, deixo aqui também um vídeo com dez técnicas que treinamos em nossa escola. Conte pra gente quais as técnicas de chute que você treina! Kin Lai.

21 visualizações
WhatsApp-Logo.png

Rua Coelho Neto, 465 - Vila Itapura | Campinas - SP - Brasil

© 2018 Academia Dragão Chinês Kung Fu

Logo Novo.png
WhatsApp-Logo.png